Acho que eu não conheço uma pessoa que diga que está completamente satisfeita com o seu trabalho. Chega uma hora que não aguentamos mais a rotina que estamos levando. Já pensou em tirar um ano sabático? Você pode até achar que é loucura, mas a verdade é que nos dias atuais o ano sabático está em alta no mundo corporativo, e serve para você sair da rotina, executar projetos pessoais e repensar sua vida. O termo tem origem na palavra sabá e significa “dia do descanso”. Imagine um ano inteiro só seu! Podendo visitar novos lugares, experimentar coisas novas e até conhecer novas culturas!

Sem dúvida nenhuma, fazer uma parada no trabalho é uma grande oportunidade para você ganhar experiência, descansar e voltar mais energizado para o mercado de trabalho, ou até mesmo se descobrir em uma nova carreira. Quem sabe? Eu adoro essa frase de Dalai Lama. Ela realmente descreve como vivemos atualmente:

“O homem sacrifica sua vida para juntar dinheiro. Então, perde seu dinheiro para recuperar a saúde. Vive pensando ansiosamente no futuro de tal forma que acaba por não viver o presente, nem o futuro. Vive como se nunca fosse morrer e morre como se nunca tivesse vivido.”
– O Dalai Lama

OK, eu já estou achando essa ideia muito legal, mas como vou me bancar no ano sabático?

Esta é com certeza uma pergunta que deve ser respondida em seu planejamento para não transformar seu ano sabático em um verdadeiro inferno. Você irá gastar com alimentação, transporte, hospedagem e o ideal é fazer um levantamento de todos os custos de sua viagem e planejar de onde virá essa grana. Faça uma lista dos países por onde quer passar, as coisas que deseja fazer, os cursos que deseja realizar e pesquise pelo preço médio de hospedagem, alimentação, transporte e não esqueça de adicionar uma reserva para emergências. A internet será sua melhor fonte de informação. Procure por blogs de outras pessoas que já fizeram uma viagem semelhante. Normalmente as pessoas colocam o quanto gastaram em suas experiências, mas lembre-se de ver quando o artigo foi publicado, mas não usar valores desatualizados. Você poderá até pegar o contato delas para tirar dúvidas e saber mais detalhes.

Feito isso você deverá planejar como você irá bancar todas essas despesas. Você tem basicamente 2 opções:

Economizar e criar uma reserva

A maioria das pessoas só pensa nessa primeira alternativa. Para criar uma reserva a formula é simples, deverá gastar menos que do que você ganha e para isso precisará de disciplina. Comece fazendo uma lista de seus gastos mensais para saber de onde pode cortar. Não vale apenas listar os gastos fixos como aluguel, telefone ou internet. Você tem que saber quanto gasta com o lanchinho na rua, na balada com os amigos ou na passadinha no shopping.

Você pode usar o velho caderninho na bolsa para anotar tudo ou optar pelos diversos aplicativos que existem com esse objetivo. Eu uso o Zero Paper, mas existem outros como o GuiaBolso, Wally+, Moni, e o Finance. O importante aqui é você fazer, independente da ferramenta que irá usar. Procure a maneira mais prática e fácil para você.

Quando fizer este levantamento você vai se surpreender com algumas coisas. Vai descobrir que muito do seu dinheiro vai pra coisas que você nem contabilizava, pois eram considerados trocadinhos do dia a dia.

De posse deste levantamento você deve começar a desenvolver seu senso crítico para responder a pergunta: eu realmente preciso disso? Além de cortar os gastos supérfluos, como a roupinha nova ou a baladinha com os amigos, você pode economizar em combustível usando menos o seu carro, em restaurante comendo mais em casa ou até na TV a cabo usando mais o Netflix e outros serviços do gênero, que são bem mais baratos.

Trabalhar nos países por onde passar

Você pode estar pensando: mas meu ano sabático não era para eu ficar sem fazer nada? Ficar sem um trabalho fixo durante seu ano sabático pode ser muito chato! Você pode usar este tempo para experimentar coisas novas, inclusive novas profissões. Essa alternativa é pouco considerada pelas pessoas, já que a maioria só consegue se imaginar trabalhando como garçom ou garçonete em algum restaurante.

Um excelente opção é você se tornar um instrutor de mergulho. Diferente da maioria das profissões, onde você tem que reconhecer seu diploma para trabalhar em outros países, a certificação como instrutor de mergulho é reconhecida internacionalmente e lhe garantirá trabalho em qualquer lugar do mundo. Imagine passar a maior parte do seu tempo na praia, sendo capaz de usar bermuda e sandálias para trabalhar, conhecer pessoas interessantes de todo o mundo, e ainda se divertir muito!

A carreira como um profissional do mergulho pode ser uma grande experiência ou até o início de uma nova vida! Como instrutor de mergulho você será capaz de transformar a vida de outras pessoas, apresentando-lhes um novo mundo, repleto de muita beleza e diversão. Se você sonha em conhecer paraísos como Caribe, Austrália, Polinésia Francesa, Maldivas e Tailândia essa é uma excelente opção!

A rotina de um instrutor de mergulho não é moleza. Você irá acordar cedo e carregar peso, mas no final tudo valerá a pena! Trabalhar na praia, ter contato com o mar e ainda conhecer pessoas do mundo inteiro. Cada mergulho será uma experiência única, isso sem contar que você irá ganhar experiência de vida e histórias para contar!

Mas você deve estar se perguntando: como se tornar um instrutor de mergulho? Mesmo que você nunca tenha mergulhado você precisará de apenas 6 meses para concluir sua formação. Você passará por 8 níveis de treinamento, onde irá aprender técnicas de mergulho, técnicas para mergulhar em diferentes ambientes, técnicas de segurança para agir em caso de emergências e todas as habilidades para liderar operações de mergulho e ensinar outras pessoas a mergulhar.

Todos esses cursos podem ser realizados separadamente, mas o ideal é  contratar um plano de carreira, também conhecido como programas GoPRO, um pacote contendo diversos cursos que vão variar de acordo com o seu nível como mergulhador. Esses planos de carreira oferecem diversas vantagens que irão ampliar seu conhecimento, lhe atualizar com o que há de novo no mercado e garantir um diferencial no seu currículo. Lembre-se que milhares de pessoas de outras partes do mundo estarão concorrendo com você, afinal não é só você que quer trabalhar num paraíso do mergulho!

Esta opção é uma excelente para quem não tem uma reserva ou uma fonte extra de renda. Como instrutor de mergulho você conseguirá uma remuneração mensal para cobrir suas despesas. Alguns Dive Center também oferecem alojamento e alimentação ou até pagam sua passagem, o que facilitará ainda mais sua vida.

Veja no site www.diversjobs.com alguma vagas espalhadas pelo mundo e comece a pesquisar quais são os pré-requisitos para você trabalhar como instrutor de mergulho.

Se você gostou desse artigo considere compartilhar nas redes sociais. Siga-nos nas redes sociais para acompanhar mais artigos como esse. Se de alguma forma este artigo lhe foi útil deixe seu comentário abaixo para podermos saber a sua opinião.

 

Você também vai gostar de