A profissão de instrutor de mergulho sempre é mais lembrada por conta da flexibilidade e do prazer que ela traz a quem decide seguir essa carreira.

A verdade é que toda profissão tem aquelas particularidades que os profissionais nem gostam tanto assim, mas que fazem parte do dia a dia.

Mas as vezes, pesquisando na internet ou até conversando com a galera do mergulho, escutamos muitas reclamações sobre a profissão de instrutor de mergulho, mas que muitas vezes retratam opiniões pessoais e não a realidade.

  1. Não dá pra ganhar dinheiro
  2. É uma profissão desvalorizada
  3. Me formei e não consigo arrumar emprego
  4. Falta motivação e incentivo
  5. Só existem empresas ruins para trabalhar
  6. As empresas pagam mal

Foi por isso que resolvemos trazer no post de hoje as maiores reclamações que costumamos ouvir sobre a profissão de instrutor de mergulho e explicar porque elas não fazem o menor sentido.

Vem com a gente nesse passeio por diversas opiniões e não esqueça de deixar a sua nos comentários. 😉

#1 – NÃO DÁ PRA GANHAR DINHEIRO

Não ganha dinheiro

Essa é clássica!

É impressionante o quanto ouvimos isso sendo dito por alguns profissionais da indústria do mergulho.

O que vale ressaltar, e isso pode até chocar algumas das pessoas que lerão esse post, é que, para quem falta disposição para trabalhar, sempre vai faltar dinheiro também.

A conta é muito simples. Profissionais de mergulho ganham dinheiro quando prestam seus serviços.

Seguindo esta lógica, quanto mais você trabalha, mais você ganha dinheiro

O que acontece é que muitas pessoas escolhem a profissão de instrutor de mergulho pelos motivos errados.

Se você escolheu ou quer escolher essa carreira pensando em trabalhar pouco e ganhar bastante dinheiro, aconselhamos que você se candidate a uma vaga em um concurso público.

A profissão de instrutor de mergulho é extremamente prazerosa e agradável, mas também é desafiadora e exige muita dedicação.

Você não passa os seus dias curtindo a praia. Você começa a trabalhar bem antes de receber seus alunos e clientes e fica até mais tarde para encher cilindros e separar os equipamentos para o próximo dia.

Se você quiser saber mais sobre se é possível viver com um salário de instrutor de mergulho, veja o post que publicamos na última semana. Lá você verá que outro fator importantíssimo e que influi diretamente nos seus rendimentos é o estilo de vida.

Se você pensa em seguir a profissão de instrutor de mergulho e abraçar a vida no mar e as experiências riquíssimas de vida, é bom saber que precisará rever seu estilo de vida.

A profissão de instrutor de mergulho vem com um estilo de vida que pode não ser o ideal para você, a depender das suas expectativas para o futuro.

Para saber se você tem perfil para seguir a carreira, faça esse quiz que nós criamos para te ajudar.

#2 – É UMA PROFISSÃO DESVALORIZADA

Profissão desvalorizada

Nas últimas décadas, nas diversas áreas de formação profissional criou-se um conceito de que todo bom profissional precisa, necessariamente, ter uma boa formação acadêmica.

Por conta dessa filosofia que se espalhou bastante, principalmente no Brasil, hoje temos um mercado de trabalho altamente saturado de profissionais com graduação nas mais diversas áreas que não estão realizados com as profissões que escolheram.

Talvez porque, no fim das contas, a profissão que faria deles profissionais realizados e satisfeitos não estava nas grades dos cursos de graduação.

Ainda é comum que pessoas achem que a profissão de instrutor de mergulho, por não ter um plano de fundo acadêmico, não pode proporcionar uma carreira de sucesso.

A PADI, que você (caso seja nosso leitor assíduo) já sabe que é a melhor certificadora de mergulho do mundo, oferece diversas vantagens para quem quer ser um instrutor de mergulho top de linha, que você pode conferir o post Mais 4 vantagens de ser um instrutor de mergulho PADI.

A PADI é uma empresa seríssima, com várias décadas de experiência no mercado e vem sempre aperfeiçoando suas metodologias de ensino, para garantir que a profissão de instrutor de mergulho seja referência de boa formação profissional em todo o mundo.

Diferente de seu diploma da faculdade, sua certificação de instrutor de mergulho PADI será reconhecida mundialmente, abrindo as portas para muitas oportunidades.

Hoje existem diversas casos de profissionais de mergulho que largaram suas carreiras tradicionais e construíram uma carreira de sucesso na indústria do mergulho.

Veja a entrevista que fizemos com o Stavros Silva, uns dos principais course directors do Brasil.

#3 – ME FORMEI E NÃO CONSIGO ARRUMAR UM EMPREGO

O que é um divemaster

Será que você está preparado para o mercado de trabalho?

Costumamos dizer que sua formação como um instrutor de mergulho começa com os cursos de base. Desta forma, você precisa escolher bem onde faz seus cursos.

E nessa hora, o brasileiro é péssimo, pois na maioria das vezes acaba comparando apenas o preço, ignorando muitas vezes a estrutura da escola, a experiência do instrutor, a satisfação dos alunos e aos itens inclusos neste preço.

Divemasters e instrutores com uma formação ruim vão ter mais dificuldade em se inserir no mercado e acabam dizendo que a culpa é que a economia não está boa ou que não há vagas de instrutor com um bom salário.

Também já dissemos em outros artigos que uma coisa muito importante na hora da contratação, além de seu conhecimento sobre mergulho, é a sua versatilidade.

E neste ponto, entram as especialização de mergulho, falar outros idiomas e outros cursos que possam agregar valor a sua contratação, como condução de embarcação ou manutenção de equipamentos.

Outro fator importante é a sua experiência em operações de mergulho. Você precisa participar do máximo de operações para ganhar prática.

Faça estágios, remunerado ou não. Isso mesmo, neste momento trabalhar de graça é um investimento. Ligue para as operadoras, se apresente e fale que quer conhecer a operações deles e queria fazer estágio nas suas férias, por exemplo.

#4 – FALTA MOTIVAÇÃO E INCENTIVO

Falta de motivação

Motivação é um argumento inválido pela próprio sentido da palavra.

Quer um exemplo claro? A sua motivação para acordar todos os dias e ir trabalhar é baseada nos seus próprios objetivos, nos seus sonhos, nos seus desafios e, também, nas suas frustrações.

Os motivos que nos fazem levantar todos os dias da cama e começar a nossa rotina são diferentes para cada um de nós.

Se todos temos razões diferentes para fazer o que fazemos, como podemos dizer, então, que a profissão de instrutor de mergulho, de uma forma generalizada, causa falta de motivação nos profissionais?

O mais provável é que as motivações, ou a falta delas, estejam relacionadas com o que falamos acima, sobre ser compatível (ou não) com o estilo e o padrão de vida que são mais comuns aos que escolhem a profissão de instrutor de mergulho.

Novamente, se você ainda não fez, faça o nosso quiz.

Obviamente, se você faz algo que não te faz feliz, ou que, no prazo planejado, não te traz o resultado que você planejou alcançar, a motivação realmente acaba.

Mas esse é um risco que você corre em qualquer profissão que decidir seguir. Se você é um profissional de mergulho e não está feliz com seu trabalho, lembre que esse é um fator que você controla.

Você pode optar sair dessa empresa e procurar uma oportunidade melhor. Se optou por ficar, não adianta ficar reclamando, pois a escolha foi sua!

Portanto, o argumento da falta de motivação também é inválido, pois é totalmente pessoal.

#5 – SÓ EXISTEM EMPRESAS RUINS PARA SE TRABALHAR

Só existem empresas ruins para se trabalhar

Existem muitas escolas e operadoras de mergulho boas para se trabalhar aqui no Brasil.

São empresas sérias e organizadas, que operam conforme padrões de segurança e trabalham para oferecer o que há de melhor no mergulho para seus alunos e clientes.

Entretanto, existem também as empresas que só visam lucro. Que operam de qualquer jeito e não se importam com a qualificação de seus profissionais, pois o importante não é a qualidade e sim a quantidade.

É sua responsabilidade escolher onde quer trabalhar!

O que você quer para o seu futuro? Quer uma carreira de sucesso e que lhe traga prazer, então saiba que precisará selecionar as empresas onde vai trabalhar.

E por mais incrível que possa parecer, essas boas escolas, resorts e dive centers estão loucos por bons profissionais. É bem difícil achar bons profissionais no Brasil!

Mas para ocupar esta vaga e fazer parte de um time de sucesso no mergulho você precisa de preparar.

Quantos idiomas você fala? Como quer trabalhar como instrutor em um local turístico se não fala nenhum outro idioma!

Como você é na operação de mergulho? Está preparado para liderar operações e chefiar uma equipe?

Como é a sua comunicação e sua interação com as pessoas? Lembre-se, que como instrutor de mergulho você irá trabalhar com pessoas. Precisa saber receber bem e se relacionar com seus alunos e clientes mergulhadores.

Como é o seu envolvimento com as empresas por onde passou? Você ajuda a divulgar e vender seus serviços. Como um instrutor de mergulho você precisa vestir a camisa da empresa!

#6 – AS EMPRESAS PAGAM MAL

Honestidade no mergulho

Já explicamos em artigos anteriores que o salário de um instrutor de mergulho é composto por salário fixo e comissões, ou seja, você não pode olhar só para um lado.

Se você está acostumado a trabalhar o mês todo e independente do resultado no final do mês receber seu salário, você precisa virar a chave para vir para o mergulho.

Como instrutor de mergulho é você quem faz seu salário. Você é o contato direto com os alunos e tem que fazer eles continuarem na formação.

É você que fará o aluno do curso básico seguir para o curso avançado, a comprar aquela nadadeira ou até ir na viagem que acontecerá no carnaval.

Mas o que acontece é que na maioria das vezes o instrutores não se sentem motivados a venderem, pois acham que esse não é o seu papel. Ou até acham que não nasceram pra isso e que não sabem vender.

Mas tire esse paradigma de sua mente. Todo mundo sabe vender! Quando você tenta convencer seus amigos a irem em um barzinho com você ou a te acompanhar numa viagem, isso é venda.

Vender é técnica. Procure um curso de aperfeiçoamento em marketing e vendas e se dedique, pois os resultados virão!

Lembre-se, você não estará vendendo um aspirador de pó ou uma assinatura de revista. Você estará vendendo uma coisa que gosta e acredita, que é mergulho.

Quando você decide seguir a profissão de instrutor de mergulho, é necessário que você saiba de duas coisas: a primeira é que, quantos mais alunos na sala de aula, mais dinheiro no seu bolso; a segunda é que, para conseguir mais alunos, apenas ministrar boas aulas e ser um instrutor fantástico nem sempre é suficiente.

Você também precisa ajudar a empresa em que você trabalha a vender o peixe, afinal, se o aluno não entrar antes pela porta principal da escola, ele nunca chegará à sua sala de aula.

Agora chegou a hora de você dizer se concorda ou discorda da nossa opinião sobre as maiores reclamações sobre a profissão de instrutor de mergulho.

Deixe sua opinião nos comentários. Você também pode apontar outros tipos de reclamação sobre a profissão que você já escutou.

 

Você também vai gostar de