O mergulho comercial é completamente diferente do mergulho recreativo.

Recentemente escrevemos um outro post, que explica mais detalhadamente a diferença entre a profissão de um mergulhador profissional e um instrutor de mergulho.

Eu me formei como mergulhador pela Marinha de Portugal, mas depois de um ano acabei saindo da Marinha para me dedicar ao mergulho comercial.

Essa mudança se deu principalmente pelo salário, pois na época o que se ganhava com mergulho comercial em Portugal era 5 vezes mais do que o salário na marinha.

Como mergulhador raso fiz de tudo um pouco. Trabalhei em portos, construções, buscas, mas me especializei em navios.

Chefiava uma equipe de serviços de mergulho profissional, especializada em navios por todo o território português.

Os armadores (donos dos navios) nos contratavam para entre outras coisas reparar os cascos dos navios, limpar e polir hélices e para fazer vistoria em filmagem.

Após 10 anos trabalhando com mergulho comercial resolvi mudar para o mergulho recreativo.

Muitos me procuram para saber o que me levou a tomar essa decisão e esta semana resolvi compartilhar com vocês os 5 principais motivos.

Ficou curioso, então fica comigo! 🙂

#1 – MAIS SEGURANÇA

Risco no mergulho

Como mergulhador raso e especialista em navios, eu ficava horas submersos, com visibilidade muito baixa ou até mesmo nula, embaixo de navios de 200 metros de comprimento e perto de hélices com mais de 10 metros de diâmetro.

No mergulho profissional lidamos com ferramentas pesadas e estamos quase sempre em ambientes hostis.

Imagine você trabalhar a 20 metros de profundidade com uma ferramenta que pode facilmente machucar você gravemente sem poder ver quase nada!

Lembro até hoje de um dos meus primeiros serviços como mergulhador profissional: inspecionar uma válvula numa barragem.

Desci sem ver nada, só seguindo com minhas mãos uma fenda na parede e chegando aos 30 metros entrei numa tubulação super estreita, nadei mais uns 15 metros para realizar a inspeção.

Serviços como esse você precisa estar preparado física e psicologicamente para não elevar o risco de acidente.

Além disso, algumas vezes fazemos mergulhos descompressivos, ou seja, passamos do limite máximo de tempo e temos que subir fazer as famosas paradas de descompressão.

Esse é um dos fatores que eleva o risco do mergulho comercial. Já cheguei fazer paradas de descompressão de mais de 3 horas!

Para garantir minha segurança eu tinha que fazer um planejamento minucioso das atividades e alinhar tudo com a equipe do navio para garantir que ninguém operasse o navio enquanto eu e minha equipe estávamos lá embaixo.

O número de acidentes de trabalho no mergulho profissional é alto. Segundo a OSHA (Occupational Safety and Health Administration) ocorrem de 6 a 13 acidentes fatais com mergulhadores profissionais por ano no mundo (fora aqueles que não chegam a público).

Lidar com isso diariamente trás uma pressão muito grande, pois de um lado você tem a sua segurança e de outro você tem os operadores dos navios, que precisam fazer o navio voltar à operação.

No mergulho recreativo é tudo diferente, pois fazemos mergulhos não descompressivos, ou seja, respeitamos o limite máximo de tempo.

Além disso, mergulhamos como uma forma de lazer, levando mergulhadores para curtir as belezas naturais.

Os profissionais do mergulho recreativos normalmente mergulham em águas quentes, calmas e cristalinas, ou seja um ambiente bem mais agradável e seguro.

#2 – PODER CURTIR AS BELEZAS SUBAQUÁTICAS

Mergulhos

No mergulho comercial, principalmente em trabalhos em portos, nós mergulhamos com visibilidade quase nula.

Quando falamos que trabalhamos com mergulho, logo as pessoas imaginam que estamos rodeados de peixes e belezas subaquáticas.

Mas isso não é verdade na maioria dos trabalhos no mergulhador comercial.

O mergulhador profissional raso é responsável por executar serviços até 50 metros de profundidade. Ver peixinho é a última coisa que você conseguirá fazer!

Já como instrutor de mergulho, nossa rotina é levar pessoas para curtir o fundo do mar.

Seja ministrando um curso de mergulho ou guiando mergulhadores certificados, nós estamos quase sempre mergulhando com boa visibilidade.

Nosso dia a dia será marcado por tartarugas, raias, golfinhos e lindos cardumes de peixe.

Podemos mergulhar todo dia no mesmo lugar, mas certamente cada mergulho será único. As além das pessoas serem diferentes, a vida marinha que vemos também é diferente.

Muito chamam isso de trabalho, eu chamo de benção!

#3 – MAIS QUALIDADE DE VIDA

Certificadora

No mergulho comercial a qualidade de vida fica em segundo plano.

Os trabalhos normalmente não são fáceis, grande parte são feitos em águas sem visibilidade e poluídas, trabalhamos horas a fio e ao contrário do que se pensa, nem sempre é muito atrativo financeiramente.

Já como instrutor de mergulho, a história é bem diferente.

Ensinar outras pessoas a mergulhar e a realizar os seus sonhos é algo incrível!

No meu ponto de vista, estes são alguns dos principais benefícios de trabalhar como instrutor de mergulho:

  • Viver na praia, sol, mar,
  • Ensinar pessoas a mergulhar e ajudar a superar os seus limites pessoais
  • Conhecer gente bacana todos os dias
  • Mergulhar rodeado de peixes, raias, meros, moreias e outras espécies incríveis
  • Não há qualquer tipo de monotonia no trabalho

Pra mim tudo isso é mais valioso que dinheiro, mas é verdade que precisamos de dinheiro para viver.

Quer saber se é possível viver com o salário de instrutor de mergulho? Não deixe de ler esse outro post.

#4 – VIAJAR PELO MUNDO

Internet

Trabalhando com mergulho comercial, estamos restritos ao país onde fizemos o curso. Por exemplo; eu fiz o meu curso de mergulho comercial em Portugal, para poder trabalhar no Brasil, tive que juntar um monte de documentos e entregar na capitania dos portos (marinha) para pedir o reconhecimento do meu curso.

Se eu quiser trabalhar em qualquer outro país, preciso seguir o mesmo processo.

Além dessa dificuldade em conseguir reconhecimento do curso, é bem difícil de se conseguir vaga de emprego no estrangeiro. Normalmente as empresas dão preferência para os profissionais do seu próprio país.

Como instrutor de mergulho PADI o curso é reconhecido em qualquer parte do mundo.

Então, podemos trabalhar em qualquer parte do mundo sem ter que fazer qualquer tipo de reconhecimento.

Existe inclusive vários casos de pessoas que fazem o curso de instrutor de mergulho apenas para poder ir trabalhar para o estrangeiro e poder viver a cada 6 meses num lugar.

#5 – MAIS VAGAS DE EMPREGO

Marketing

Muita gente vai para o mergulho profissional em busca de salários altos, principalmente nas companhias petrolíferas, mas depois que se formam descobrem que conseguir um emprego como mergulhador profissional não é tarefa fácil.

Normalmente o mercado é bem fechado e os processos seletivos têm cartas marcadas, o que dificulta a entrada de novos profissionais.

Recebo constantemente contatos e currículos de profissionais que se formaram como mergulhadores rasos na esperança de conseguir uma vaga de emprego, mesmo que seja no mergulho recreativo.

Como já explicamos aqui no blog a formação dessas duas áreas são completamente diferentes e por isso não é possível migrar do mergulho profissional para o mergulho recreativo sem passar por alguns cursos.

A pior coisa é você se formar numa área e não conseguir emprego, pois você investiu tempo e dinheiro na formação.

Sendo assim, precisa avaliar com cuidado a quais são as oportunidade que existem no mercado, antes de decidir em qual área do mergulho você quer estar!

Como instrutor de mergulho PADI, existem diversas oportunidades de emprego no mundo todo. Já imaginou morar e trabalhar em paraísos tropicais como o caribe?

Gostou do artigo dessa semana? Quer saber mais sobre a minha mudança? Compartilhe aqui suas dúvidas e  curiosidades, que eu terei o maior prazer em responder! 👇👇👇

 

Você também vai gostar de